Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Xanalicious

Seg | 28.06.10

The 3 color rule

Antes de termos uma mala na nossa cor preferida,

antes de termos uma mala com o nosso padrão preferido,

antes de tudo...


Há que ter uma mala nas três cores básicas:

Preto, Castasnho e Branco (ou Creme).




Pelo menos é essa a minha regra. Têm que ser num modelo que dê com tudo, que se adapte ao dia a dia e a uma saída à noite (das mais informais), e sem padrões ou estampas - o mínimo possível!


Para a noite a regra já não é bem a mesma... É preciso haver uma preta (esta que já mostrei aqui), mas gosto de ter clutchs não tão básicas - como estas duas.



Por ordem: Marc B. for Topshop, Blanco, Hello Kitty, Parfois, Pull&Bear.




Assim ficou a primeira tour pelas minhas bolsas!


xxx
Seg | 28.06.10

Porquê gastar tanto numa bolsa?

"As verdadeiras it girls não compram acessórios caros - ao contrário do que algumas pessoas costumam pensar - para ostentar ou carregar grifes poderosas consigo. Conhecer e entender a história, as peculiaridades e o significado real de uma peça aumenta o desejo por ela. Claro qque o importante é agradar aos olhos (e nesse caso não há unanimidade porque o que agrada aos olhos de um não agrada aos olhos de outro e vice-versa!), esse é o ponto de partida."

(Ale Garattoni, in It Girls)


É com esta frase que inicio a semana I (heart) handbags aqui no Labels.


Afinal porquê gastar tanto numa bolsa? O que torna as bolsas clássicas (entenda-se por clássicas aquelas que duram mais que meia dúzia de temporadas) tão caras?

Markting? Posicionamento da marca?
Estratégia para limitar o consumo?

Sim e não!

Claro que isso acontece (principalmente o markting), mas existem ainda curiosidades por detrás do preço astronómico de algumas das mais famosas handbags:


Linha de montagem:

As produções são muito limitadas não apenas para limitar o consumo, mas porque a produção é muito (muito!) extensa: várias etapas, e profissionais altamente treinados. Apesar de existirem máquinas no processo, boa parte do processo é feita artesanalmente.


Uma (uma!) bolsa Chanel chega a envolver 15 pessoas no seu desenvolvimento!


Oferta e Procura

Regra básica de Economia: o preço é regulado pela lei da oferta x procura.

Em parte isto faz parte de estratégia, e em parte deve-se a limitação da linha de produção.


É dificil comprar uma Hermés Birkin sem ficar, no minimo, um ou dois anos em lista de espera (o tempo depende do material, cor e tamanho escolhidos). Mesmo com preços altissímos, a marca tem uma procura certa, constante e fiel (procura muito maior do que a empresa consegue produzir).


Detalhes

A perfeição está nos detalhes - e as bolsas clássicas podem ser consideradas perfeitas.

O famoso matelassê Chanel (também chamado por cá de "padrão Chanel") é único e impossível de copiar: o segredo é tratado como segredo de estado da marca.
Nas marcas clássicas todo o material é impecavelmente seleccionado, preparado e testado - o que faz com que seja muito difícil ter problemas depois da compra.


As bolsas Goyard, que muitos não entendem o alto (ALTO!) preço visto que se trata de uma peça de lona, são pintadas à mão! Todo o desenho é pintado manualmente, numa perfeição milimétrica. E a lona é especial e à prova de desbotamento.




Amanhã mais curiosidades sobre bolsas clássicas...


xxx