Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Xanalicious

Dom | 02.09.18

FAZ SENTIDO UM CURSO PARA SER INFLUENCER? SIM, FAZ!

 

Ter personalidade e carisma, é uma coisa.

Saber transmiti-los é outra.

 

 

Há umas semanas (sim, este post teve semanas em rascunho...) vi uma notícia sobre uma Universidade em Espanha que vai abrir curso de Influencer. Na altura dei-me ao trabalho de espreitar o Plano Curricular e devo dizer que me surpreendeu bastante: o curso é um mix entre Marketing, Design e Gestão. Não sei se será bem executado (no equilíbrio entre teoria e prática num universo - o digital - que está em CONSTANTE mudança), mas fiquei bem impresisonada, confesso.

 

Adivinham como vi essa notícia? Numa Story de escárnio, claro. Porque, de facto, à primeira vista um Curso de Influencer parece simplesmente a coisa mais ridícula de sempre. Mas... Será? Depois do óbvio, será assim tão ridículo?

 

Em primeiro lugar: qualquer profissão deve ter formação. Superior ou não, mais ou menos prática, deve ter. Eu sou desta opinião!

 

E esta "Nova Profissão", ainda mais. É que isto parece que isto parece simplesmente que andamos aqui a relatar idas à Zara e ao Amélia para um brunch (e por "andamos", na verdade, não me incluam pois eu não sou - nem quero ser - profissional desta área específica), mas não é NADA disso.

 

 

 

Comecemos pela parte prática (e óbvia): saber utilizar com maestria as plataformas digitais, aprender a editar imagens e vídeos, sem esquecer a escrita. Mas, depois, há muito mais: há a necessidade de aprender a vender os seus veículos e a sua influência. E, há ainda a parte de que esta profissão é uma profissão por conta própria = questões contabilísticas e financeiras.

Não creio (nem vi no plano curricular) que este curso vá ensinar aquilo que tanto se critica nos Influencers hoje em dia: a fazer fotos seminuas e publicidade sem qualquer sumo. Pelo contrário, parece-me uma forma excelente de contrariar isso (a segunda parte) e fazer com que haja cada vez mais dinheiro investido no digital e, acima de tudo, que esse dinheiro seja cada vez mais bem empregue. Em conteúdo!

 

 

Hoje em dia já ninguém pode começar sem saber o que é a VSCO ou uma lente 50mm, como eu comecei. Ou sem dar uns toques no Facetune ou saber a importância de um feed bonito. 

Estamos em 2018, já não há espaço para erros nem edição feita directamente no Instagram. Nem para anos de "descoberta" de cada ferramente uma a uma.

 

 

Sabem que mais? Acho que precisamos de INFLUENCERS FORMADOS, cada vez mais atentos e melhores a comunicar (tanto de forma paga como de forma orgânica). Se há quem o consiga fazer sem formação (escrever, editar conteúdo multimédia, triar parcerias, criar conteúdo que vá de total encontro à sua personalidade ao mesmo tempo que é apelativo e, ainda, ter rendimentos e uma contabilidade organizada), ÓPTIMO. Mas há quem não consiga e tenha muito potencial de conseguir ter-me como fã e seguidora. Garanto-vos!

 

 

Quem se vai diferenciar continuarão a ser os BONS. Formados ou não.