Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Xanalicious

Qui | 29.04.10

Are we Shopaholic's?

Na era da Fast-Fashion, dos cartões de crédito com anuidades tentadoras, dos cartões de cliente, do Jimmy Choo for H&M... O consumo é cada vez mais fácil!

Já não precisamos ter uma fortuna para ter coisas bonitas nem para ter um closet repleto de tendências e básicos.

Juntem estes factores a uma personalidade fascinada pela moda e temos um(a) belo(a) consumista! lol


Todos somos consumistas de alguma coisa: roupa, discotecas, concertos, tecnologia, etc. Hoje em dia é raro conhecer-mos alguém que não seja consumista de alguma coisa em concreto (e até mesmo de várias), sendo que eu entendo por consumista aquele que compra mais do que o realmente necessita (é aquela coisa para a qual deixamos o budget que sobra ao fim do mês).


Se procurarmos a definição de consumismo, a Wikipédia apresenta uma bela definição (ver página completa aqui): A diferença entre o consumo e o consumismo é que no consumo as pessoas adquirem somente aquilo que lhes é necessário para sobrevivência. Já no consumismo a pessoa gasta tudo aquilo que tem em produtos supérfluos, que muitas vezes não é o melhor para ela, porém é o que ela tem curiosidade de experimentar devido às propagandas na TV e ao apelo dos produtos de marca. No entanto, a definição de necessidade supérfluas é algo relativo, já que um produto considerado supérfluo para alguém pode ser essencial para outra, de acordo com as camadas sociais a que a população pertence. Isso pode gerar violência, pois as pessoas que cometem crimes na maioria das vezes não roubam ou furtam nada por necessidade, e sim por vontade de ter aquele produto, e de não ter condições de adquirí-lo. Nesses casos, a necessidade de consumo se torna uma doença, uma compulsão, que deve ser tratada para evitar maiores danos à pessoa. Muitas vezes o consumismo chega a ser uma patologia comportamental. Pessoas compram compulsivamente coisas que elas não irão usar ou que não têm utilidade para elas apenas para atender à vontade de comprar.


Mas em que ponto passamos de consumistas para viciados em consumo? Where do we cross the line?

Será que vamos ao shopping todas as semanas por hábito ou mesmo por meros acasos, ou por necessidade? Cada vez que lá vamos temos que trazer sempre uma coisa? Essa tal coisa vai nos servir para alguma coisa, ou vai ficar ao abandono lá por casa (excluo desta equação itens da Primark... lol)? Existe diferença entre o vício saudável (consumismo) e o vício puro (malta dos cartões de crédito), ou é tudo vicio puro?



Gostava muito de saber a vossa opinião sobre este assunto...


xxx

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2